Translate

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Alfabetização de Ecuatorianos merece Prémio da UNESCO

UNESCO reconhece êxitos e inovação do projecto de Alfabetização ecuatoriano
Cerca de 325 mil pessoas aprenderam a  ler e escrever no Ecudaor entre 2011 e 2013 o que levou a um descrescimo significativo nos indices de analfabetismo naquela país da américa latina. Novo impulso no combate ao analfabetismo, no quadro do projecto de Educação Básica para Jovens e Adultos (EBJA) está actualmente em curso, procurando envolvendo até 2015 qualquer coisa como 150 mil ecuatorianos. Este esforço e os êxitos da metodolgia adoptada no Ecuador, levaram mesmo à atribuição do Prémio Internacional de Alfabetização "Rey Sejong" pelo UNESCO- Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Este é o reconhecimento mundial pelo âmbito e inovação do trabalho desenvolvido pelo Governo do presidente Rafael Correa que declarou a «Alfabetiização como tema prioritário».
Alfabetização considerada prioridade por Rafalel Correa
povos indígenas aprendem a ler escrever lingua materna
De acordo com dados do Ministério da Educação do Ecuador mais de 44 mil 021 pessoas aprenderam a ler e escrever na sua lingua materna (kichwa) mediante a metodología ecuatoriana de alfabetización 'Dolores Cacuango', a qual promove a identidade intercultural dos povos e nacionalidades índigenas : Waorani, Kichwa, Achuar, Tsachila, Chachi, Shuar, Awa, Siona, Secoya y Sapara. Outras 62 mil 561 pessoas de  etnia indígena bem como 29 mil 472 pessoas de etnia montubia e ainda 6 mil 287 afroecuatorianos, além de serem alfabetizados receberam formação familiar e comunitaria com enfoque nos direitos humanos, nas questões de saúde e nutrição, contribuindo assim para o êxito do projecto EBJA. 
De acordo com o Instituto Nacional de Estadística y Censos (INEC) os indices de analfabetismo no Ecuador eram em 2010,  da ordem dos 6,8 por cento, que o mesmo e dizer, mais de  670 mil pesssoas não sabiam ler nem escrever.