Translate

sábado, 20 de setembro de 2014

Software livre conquista America Latina

Cuba, Venezuela, Uruguay, Ecuador, Brasil e Bolivia são paises "já conquistados" pelo Software livre. Poderá mesmo dizer-se que o desenvolvimento cientifico e tecnológico nestes países, está indissociavelmente ligado a esta forma de aceder ao mundo da comunicação. A acessibilidade dos mais desfavorecidos às tecnologias de informação e comunicação é mesmo a "bandeira" que este conjunto de Governos ergue por via da implementação paulatina do Software Livre, indo até nalguns casos a legislar de modo a tornar prática dos serviços públicos o uso deste tipo de software.  

Do pioneirismo às decisões legislativas 
O Brasil assume-se como pionero no desenvolvimento de software livre na América Latina, ao migrar de  forma massiva para o Software llivre ou dito de outro modo, para os sistemas de código aberto, na administração pública, nas escolas, em Universidades e mesmo no Banco Estatal. 
Em Cuba o uso de SL é mesmo política de estado, com o Governo a fomentar o uso do sistema operativo Linux, estendendo-o ao ensino Universitário através do SO Nova (sistema operativo Nova) que este desenvolveu e ajudou a implementar contribuindo para que Cuba, de acordo com dados de 2011 tivesse um quota significativa de uso de Linux, da ordem dos 6,3 por cento de toda a America Latina. 
Exemplo não menos importante vem do Uruguay que em dezembro de 2013, aprovaria a lei do Softwrae Livre e Formatos Abertos no Estado, ou seja estabelece a obrigação de uso de sistemas operativos  abertos no governo e nas mais diversas instituições públicas do país, além de colocar metas no desenvolvimento do software livre no quadro das comunicações informáticas.  
No mesmo sentido também se posicionou o Ecuador, ao aprovar em 2008 ( e já lá vão uns anitos) o Decreto 1014 que estabelece a obrigatoriedade do uso de tecnologias de codigo aberto nos diferentes serviços públicos, medida que contrinbui e muito para o desenvolvimento do "eCurul " isto é um programa que tem permitido a realização de votações eletrónicas na Assembleia Nacional do Uruguay.
E de país em país também o Governo da Venezuela por via de Decreto Presidencial decidiu o uso preferencial de Software Livre e do Linux muito em particular em toda a administração pública , nos diferentes ministerios e departamemntos governamentais. É também no quadro desta politica de acessibilidade do mundo da comunicação e informação que surge a aposta no desenvolvimento do Canaima Educativo, um programa que assenta não apenas na distribuição de computadores nas escolas, por todo o território venezuelano mas tambem a produção do computador " made in" Venezuela" com o que isso implica positivamente para o desenvolvimento da comunicação, dos sistemas informáticos e da economia do país. 

Ensino dá exemplo no uso de Software livre
Perú é outro dos países da america latina a tomar medidas para a implementação de Software Livre, quer no setor privado quer nos diferentes departamentos governamentais, na sequência aliás do que experimental e primeiramente foi feito na região de Lambayeque e devera ser extensival a outras regiões do país. De forma preferencial  no Mexico o uso nomeadamente do Linux, tem vindo a ser adoptado por decisão do Governo do Distrito Federal do Mexico. E posição muito semelhante se passa na Argentina onde as iniciativas e até um projecto de Lei esta a ser estudao pelo Senado com intuito de impulsionar o uso de programas informáticos de código aberto em todo o Estado. Já no Chile é o Ministerio da Educação que dá o exemplo ao introduzir em 90% das escolas, bibliotecas e Universidades o EduLinux, criado aliás pela Universidade de Frontera pondendo mesmo vir a ser obrigatorio o seu uso em todo o território. 

Numa palavra, o baixo custo, o desenvolvimemto e a acessibilidade às novas tecnologias de informação e comunicação são elementos que justificam a adopção dos sistemas operativos de código aberto uma acertada e inevitável medida de independência tecnológica deste conjunto de países da america latina e um factor de desenvolvimento, económico, social, cultural dos seus povos.