Translate

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Escritores latinos na "primeira pessoa"

A série «Escritores en Primera Persona», é uma iniciativa da Casa da América Latina em Lisboa que decorre até  Outubro. 

Fazer uma aproximação ao mundo das letras e dar a conhecer grandes escritores da literatura latino-americana é o objectivo desta acção que contempla exibição de filmes, documentários. debates em torno de grandes nomes da literatura latino-americana... e do mundo...

Carlos Fuentes (Mexico), Eduardo Galeano (Uruguay), Mario Benedetti (Uruguay), Elena Poniatowska, Isabel Allende (Chile), Mario Vargas Llosa (Peru), entre outros, falam de si, das suas obras e da realidade do continente latino-americano. 



No dia 15 de abril, às 19h00 é a vez das "histórias verídicas do personagem Luis Sepúlveda” num documentário de 28 minutos, que nos revela o escritor chileno. Sepúlveda foi preso e torturado pela ditadura militar. Após ser libertado pela Amnistia Internacional rumou ao Equador, alinhou-se com os sandinistas na Nicarágua, foi correspondente de guerra em Angola, camionista na Alemanha e ativista do Greenpeace. É um dos autores latinos mais lidos na Europa e as suas obras estão traduzidas em 46 idiomas.


A serie prossegue:
29 de abril | Antonio Skármeta (Chile) | 28’
13 de maio | Mario Vargas Llosa (Peru) | 27’
27 de maio | Alfredo Bryce Echenique (Peru) | 27’
3 de junho | Ariel Dorfman (Argentina/Chile) | 29’
17 de junho | Isabel Allende (Chile) | 27’
1 de julho | Quino (Argentina) | 30’
15 de julho | Carlos Fuentes (México) | 27’
2 de setembro | Mario Benedetti (Uruguai) | 26’
23 de setembro | Juan Villoro (México) | 29’
7 de outubro | Rigoberta Menchú (Guatemala) | 28’
21 de outubro | Eduardo Galeano (Uruguai) | 27’

Não esqueça, para já dia 15 de abri, ás 19h00 na 
Casa da América Latina, à  Avenida 24 de Julho, em Lisboa

Sol y Lluvia lançam novo CD e "gira"

Está aí o novo disco dos "Sol Y Lluvia", apresentado num grande concerto da banda no «Teatro Caupolican» (este 13 abril) a assinalar o lançamento desta obra do Cancioneiro Chileno e os 35 anos de carreira dos "Sol Y Lluvia", plenos de êxitos.

E são várias as gerações que acompanharam e vão continuar a acompanhar, cantando e dançando os «Sol y Lluvia» que agora iniciam nova gira (ou tornée) - a 10ª na vida da banda chilena.
Os ritmos, as letras e a história de um país, onde lutas, conquistas, recuos, sonhos, não têm faltado, é realidade que chega aos discos e aos palcos com os "Sol Y Lluvia"...
Desde 2005 que os «SOL y LlUVIA» não nos brindavam com um trabalho discográfico, mas sosseguem os amantes da boa musica latino-americana e chilena, pois este CD é o sucessor de "LA CONSPIRACIÓN DE LA ESPERANZA" (2005) e desse Hit «SOL y LLUVIA en 30 Años (2012)*. 
São oito anos de experiências e crescimentos vitais, processados a nível das letras e musicalmente, desde a consolidada e original visão artística desta reconhecida banda, muito para lá dos limites geográfcos do seu país de origem.

"La fuerza de su música, la fidelidad y amor de sus públicos", pese embora a fraca presença mediática, fazem desta uma das bandas chilenas cuja historia se escreve marginalmente mas, com uma enorme força e popularidade, porque estão no coração do Chile e dos Chilenos.

SOL y LLUVIA -alcança já os 35 anos de intensa trajectória e este concerto, o novo CD são assumida e conscientemente, tempo e espaço de «emocionar e interpretar o sentir de todos aqueles que são ignorados porque os não querem ou escutar no seu dia a dia...
Un Chile Hermoso, de todos y no sólo de aquellos que hoy tienen el poder político y económico” defendem os "Sol y Lluvia" 
Suas letras plenas de sentido social e crítica, unidas à esperança e grande capacidade de amar, são os detalles postos nos novos temas que integram o novíssimo CD, qual convite à participação nesta grande festa da música chilena que este(s) concerto(s) de hoje e dos que se vão seguir mundo fora e o próprio trabalho discográfico agora editado, constituem.

Ah e para que não restem dúvidas, a banda recebe da editora discográfica -MASTERMEDIA, durante o concerto o «VINIL de OURO», como reconhecimento do êxito de vendas dos «Sol Y Lluvia»*

Famílias de fiéis e novos descobridores, da criação musical, cantam faça -Sol o Lluvia - com este ícone da música chilena e latino-americana. Que viva la musica y los "Sol y Lluvia" 

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Brasil distingue "obra e prática" de maestro venezuelano

É um exemplo a seguir esse da «Orquesta Sinfónica Simón Bolívar, de Venezuela. A opinião é de Dilma Rousseff Presidenta do Brasil, manifestada no decurso da condecoração de José Antonio Abreu, Maestro e fundador da Orquestra Venezuelana.
O ato teve lugar em Brasilia, no passado dia 9 de abril, distinguindo o Maestro com a "Ordem Nacional do Cruzeiro  do Sul", a mais alta distinção brasileira.
O titulo agora atribuído a Jose Antonio Abreu, releva "o labor musical, educativo e social" bem como a dedicação do Maestro, durante trinta e oito (38) anos a esta "escola" de vida e para a vida, dos jovens venezuelanos.  
Dilma Rousseff aposta mesmo na criação de uma Orquestra Juvenil binacional, isto é, composta por crianças e jovens brasileiros e venezuelanos como forma de combater o abandono escolar, a mendicidade e exploração infantil de que padecem os mais novos e desprotegidos no Brasil.  Será igualmente a forma de partilhar a experiência da Orquestra venezuelana, bem como aprofundar as relações bilateriais e promover o intercâmbio de culturas, muito para lá da música e da sua aprendizagem. Deste modo se aposta na formação e crescimento de homens e mulheres de plenos direitos na sociedade. Cc-04/13


Foto:
 Presidenta brasileña Dilma Rousseff condecorando o Maestro venezolano Jose Antonio Abreu, com a "Orden Nacional Do Cruzeiro Do Sul, o mais alto nível de distinção naquele país. O ato aconteceu em Brasilia a 9 de abril de 2013.