Translate

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

"OVO da Moita " à consquista de países da America do Sul

A "OVO Solutions"  uma empresa sedeada no concelho da Moita, aponta as baterias para a America Latina, na senda da internacionalização e do crescimento das suas exportações. 

O objetivo é reforçar a internacionalização para fora da União Europeia, ultrapassando assim a quebra na procura interna, ao nível do mercado ibérico que até agora foi o principal mercado-alvo da  "OVO Solutions"    
A empresa produtora de contentores de lixo e Ecopontos já está a operar na America do Sul, em países como o Perú, Uruguay e Brasil, os que representam já qualquer coisa como 17% das vendas totais da "OVO "  revela Henrique Jacinto. O diretor-geral da empresa estima que as vendas para esta área do globo possam chegar aos 6,5 a 7 milhões de Euros este ano.  

 "Há projetos pontuais de alguma dimensão a decorrer nestes países, que são apoiados pelos Bancos Mundial e de Fomento Americano, com o objetivo de ajudar na aquisição de soluções de gestão de resíduos. São iniciativas que visam sobretudo criar condições para que o lixo não esteja nas ruas", explica Henrique Jacinto. Para estes países a finalidade é vender contentores de recolha de lixo de duas e quatro rodas, acrescenta o responsável da "OVO".

Pioneiros na produção de contentores de lixo e ecopontos a nível nacional a
"OVO Solutions"  
quer continuar a sua aposta nos mercados africano e da América do Sul, no intuito de  ultrapassar a quebra de procura no mercado ibérico. É verdade que já estamos a operar nestes mercados fora da Europa e daí o crescimento de 100% nas nossas exportações, apenas num só ano. 
"A nossa quota de mercado em Portugal é da ordem dos 90%", nos chamados ecopontos mas neste momento Portugal e Espanha pouco ou nada podem contribuir para o crescimento da empresa, uma vez que se trata do denominado mercado de reposição da recolha selectiva. 
Daí a internacionalização e procura de novos clientes, nos mercados emergentes que são os da América do Sul e também Angola, por exemplo.  
"Este ano, Angola registou uma faturação de 800 mil euros, cerca de 40% do valor total das nossas exportações que foi de 2 milhões de euros", adianta  o diretor-geral da empresa com instalações na Zona Industrial do município ribeirinho da Moita.