Translate

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Episódios inéditos dos 50 anos «Los Jaivas»

«Los Jaivas» assinalam a 15 de agosto meio século de existência, e no âmbito desta irrepetível efeméride "histórias, influências, bastidores e aspectos da vida familiar" dos elementos da mais antiga banda Chilena estão agora em evidência, num livro de autoria da periodista Pamela Urbina Alvial, uma fã incondicional do grupo e amiga desta grande família, há já mais de uma década.
«Los Jaivas - 50 anos de história» das "Ediciones B" conta com a participação de todos os integrantes do grupo, revelando episódios deste percurso que começou "aos sete anos de idade" da maioria do seus elementos, até aos dias de hoje. A publicação revela também as influências da banda chilena noutras gerações de músicos, cantautores e outros artistas independentemente da sua arte. A participação de "Los Jaivas" em bandas sonoras de filmes ou as "artísticas capas dos discos" falam por esse longo período de tempo da banda chilena e o que ele significou em termos culturais, sociais, políticos... Mas a curiosidade maior são os olhares das esposas de todos os músicos, em torno da banda, já equiparada aos Rolling Stones...o que acontece pela primeira vez na história da música.
Os organizados turnos, para "cozinhar, lavar e levar los "niños" ao colégio", bem como diversos outros aspectos da vida desta numerosa família, para já não falar da preparação e realização de espectáculos e tornées da banda, constituem as grandes novidades deste livro, agora dado à estampa... 
"Eramos uma verdadeira e magna comunidade e como tal tudo tinha de ser organizado e partilhado. Caso contrário nunca "Los Jaivas" teriam conseguido fazer todo este seu percurso de actividade" conta Pamela, viúva del "Gato" Alquinta. E desde a criação das próprias roupas, à confecção de refeições, que em dado momento chegaram a vender para fora como forma de sustento, ou seja na fase em que a banda se instalou em Paris, tudo teve a mão das mulheres dos músicos chilenos.

"Los Jaivas" são únicos, desde logo porque nunca pensaram em ser famosos ou colocaram em primeiro plano, fins comerciais para a sua actividade musical. Depois porque as suas vidas em comum foram muito além do trabalho de bastidores, da criação musical e da subida aos palcos, fosse na america latina, na europa e no mundo... Foram também a única banda a tocar em lugares muito especiais como a Antártida ou Machu Pichu ou ainda os únicos chilenos a subir a um palco na China.

*com Por María Paz Mateluna