Translate

sábado, 17 de outubro de 2015

Argentina e o exemplo das Radios Comunitárias

A realidade é outra na Argentina onde os meios de comunicação estão agora serviço das comunidades onde se inserem. Na verdade foi uma verdadeira revolução aquela que se iniciou em 2009 com a aprovação da Lei dos Media. 

A democratização dos meios de comunicação, principalmente com a criação e desenvolvimento das rádios comunitárias é uma das novidades a que se dá grande atenção no Brasil e nos demais países latino-americanos.  É uma conquista enorme esta de permitir que se ouça a voz das comunidades, das pessoas, das instituições locais, outrora ignoradas e maltratadas no quadro de um sistema em que o mercado dita as leis e os senhores do dinheiro as regras. 
A contestação, os protestos, a contra-informação deitou por terra o monopólio dos grandes grupos de comunicação e estabeleceu novas regras permitindo um máximo de 24 licenças de TV no cabo e 10 licenças de serviços abertos contando com a TV e rádios em AM e FM. E tudo graças à presidente Cristina Kirchner e aos representantes do povo argentino que soube levar de vencida esta batalha.
A nova Lei dos Media, permitiu a criação de qualquer coisa como 152 rádios comunitárias em escolas de primeiro e segundo grau, ainda 45 Televisões e  53 rádios em Frequência Modelada (FM) universitárias.
A esta panóplia de novas vozes se junta o primeiro canal da TV bem como 33 canais de radio ligados aos povos indígenas. Mas as medidas no quadro desta legislação trouxeram grandes e boas novidades como a da TV pública argentina adquirir os direitos de transmissão dos jogos de futebol e a democratização do acesso dos clubes, conquistando a estação a audiência popular.
O exemplo da Argentina que muito se deve à postura da Presidente Kirchner é agora alvo de estudo e análise em diferentes países desta área do globo, onde pese embora as dificuldades e limitações continuam a dar sinais de força e organização as comunidades apostadas em dar voz às rádios comunitárias num movimento que levará o seu tempo mas será certamente imparável e exitoso, quer exista ou não lei favorável a esta realidade.